Como ter um bom planejamento financeiro para 2021?

Se 2020 teve algo para ensinar, foi sobre como podemos nos adaptar em situações adversas! Muito se procurou saber sobre fluxo de caixa, créditos, mas agora o assunto é outro: planejamento financeiro. Tem como prever? Até onde dá para arriscar?

Normalmente, o planejamento financeiro de um ano é realizado em conjunto com o balanço anual, fechamento de caixa, orçamento do próximo ano e outras contabilidades que você pode ter feito na sua empresa após as épocas festivas.

Para 2021, o cenário mudou bastante: o ano anterior serviu para nos mostrar possíveis adversidades causadas pela pandemia e quais são os caminhos possíveis para driblá-las. Portanto, aí vai a primeira dica do seu planejamento: estude seu público e seu mercado. Se você pensou “de novo?!”, sim, recomendamos renovar esse estudo.

Isso porque o consumo durante a pandemia mudou. E mesmo após a vacina, provavelmente teremos uma curva até que tudo seja “normalizado” novamente, então nada mais justo do que você reler este conteúdo para entender mais sobre como o seu público está adquirindo o seu produto.

Estrutura é a palavra-chave do planejamento financeiro

Se, após seu estudo, você entendeu que precisa de algo para conseguir se adequar à esta nova realidade, é preciso se debruçar sobre seu orçamento e entender como isso pode ser encaixado. Não adianta nada você “bater o pé” para um tipo de atividade, se ela não condiz mais com o que está acontecendo no mundo.

Um exemplo é o segmento de moda e vestuário. Se a sua loja ainda não está nas redes sociais, ou não possui um e-commerce que seja, é hora de rever isso. Coloque no papel quais “braços” você precisa para isso dar certo e reveja a infraestrutura do seu negócio. Será que, no contexto atual, não vale ter alguém alocado para cuidar das suas redes ou contratar um site para vender suas roupas?

Pesquisas formuladas pelo (IEMI/IBGE) indicaram que o e-commerce cresceu em torno de 40%. Outro estudo, realizado a pedido da Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas (ABEVD), indicou que o aplicativo WhatsApp se tornou o principal canal de vendas diretas do Brasil, atingindo a marca de 84,7%.

Isso tudo para dizer que o cenário da moda está cada vez mais se digitalizando e o consumidor requer esse acompanhamento das marcas que ele acompanha, não cabendo mais não oferecer nenhum tipo de venda online.

A hora do planejamento financeiro é a hora de enxergar as oportunidades. Por isso, a fase do “estudo” de público, marca e mercado é essencial e imprescindível. Não adianta você continuar com uma comunicação que não conversa mais com quem compra, por exemplo. O mesmo vale para a concorrência: se todos estão indo para um caminho, estudar o por quê disso não faz mal, certo?!

Controle e prevenção sempre

Parece até uma recomendação da Organização Mundial de Saúde, mas também vale para o seu planejamento financeiro. O ano de 2020 nos ensinou que lockdown, crise econômica e risco de fechar as portas são realidades que podem bater a nossa porta a qualquer instante. Por isso, controlar a sua gestão financeira é essencial para este ano.

Para isso, uma rotina administrativa é o par perfeito desse planejamento financeiro. Ter uma rotina administrativa quer dizer ter um processo sistemático que pode viabilizar desde atividades simples da empresa, até operações de tecnologias mais complexas.

Para isso acontecer, é necessária a manutenção básica de funções que movem a empresa, que devem ser feitas seguindo normas, métodos e boas práticas. Em funcionamento, a rotina administrativa auxilia a prever resultados e manter tarefas em dia.

A ACQIO, por exemplo, oferece uma maquininha que, além de disponibilizar o suporte de franqueados presencial e consultivo, te dá o direito a utilizar um aplicativo exclusivo que possibilita a gestão financeira em tempo real. Você pode controlar suas transações direto do seu celular, entendendo como está o seu fluxo de caixa em primeira mão.

Como elaborar uma rotina administrativa para a minha empresa?

O primeiro passo para evitar que haja essa desorganização e você não saiba como resolver depois é identificar como a sua empresa funciona e quais processos estão envolvidos, do início ao fim.

Ou seja, criar um fluxograma e detalhar nele todas as tarefas da gestão e sua ordem de execução é primordial para iniciar uma boa rotina administrativa.

Importante destacar que as rotinas administrativas variam, conforme o escopo de cada negócio. Mas isso não quer dizer que não sigam o básico: cada organograma de como funciona cada departamento deve conter seu nível de hierarquia e as suas etapas executadas, além de um manual de rotina e um regulamento interno.

Essa tríade é a base para que você, mais para frente, possa executar com perfeita organização as atividades de uma rotina administrativa, que são:

  • Organização de materiais e documentos;
  • Controle de entrada e saída de materiais;
  • Registro de frequências de funcionários (registro de ponto);
  • Fiscalização da ordem nos ambientes;
  • Operação de equipamentos eletrônicos;
  • Realização e atendimento de chamadas telefônicas;
  • Emissão de notas fiscais, recibos e contra-cheques dos funcionários;
  • Realização de transferência bancária e depósitos;
  • Emissão de relatórios.

Capacitar seus profissionais é a chave para uma boa rotina administrativa

Bons profissionais são parceiros valiosos durante esse ano!

De nada adianta montar fluxogramas, se você não capacitar quem cuidará das funções de cada departamento. Por isso é imprescindível escolher bons profissionais e oferecer suporte a eles para que também possam indicar melhorias em processos e automatizações, quando necessárias.

Explique a eles o cenário ideal, entenda quais são os pontos falhos do negócio e o que fazer quando algo der errado. Com um bom manual de rotina, fica ainda mais simples criar uma administração competente e engajada.

Converse com um de nossos especialistas e saiba como podemos te ajudar.

 


ASSINE NOSSA NEWSLETTER