Planejamento comercial para 2021

O melhor momento de planejar o próximo ano é, sem dúvidas, agora. Hora de revisar e coletar todos os dados e feedbacks dos clientes, fornecedores, equipe, sócios e, claro, pensar em como você, enquanto empresário, quer que o próximo ano se comporte. Aumento de vendas, rentabilidade, contratação de pessoas, corte de despesas: tudo isso deve estar contemplando no planejamento comercial do ano seguinte.

E não pense que precisa ser estressante. É tempo de aprender, principalmente, com o que esse ano te ensinou sobre perspectiva, sobre organização e até sobre possíveis mudanças. Por isso, papel e caneta na mão e vamos ao planejamento de 2021!

Como iniciar seu planejamento comercial

Se você não está acostumado a planejar financeiramente seu próximo ano, o primeiro passo é criar um controle do orçamento. Normalmente, adota-se o formato de uma DRE, que é uma Demonstração do Resultado do Exercício, para que o empreendedor tenha não só uma estimativa das receitas e despesas, como também da rentabilidade.

Neste link, você tem acesso a uma explicação mais detalhada sobre a DRE e como ela deve ser modelada para o seu negócio.

Nessa planilha de controle deve haver, pelo menos, um orçamento bem detalhado que, diferentemente de um fluxo de caixa, contenha uma previsão das receitas e gastos que ocorrerão ao longo do período contemplado – no caso, do próximo ano.

Para começar, insira na lista o custo operacional: as vendas estimadas por linha de serviço ou produto (isso será importante para avaliar o crescimento de vendas de forma específica) e os custos de produção ou prestação de serviços, como matéria prima, mão de obra e demais insumos.

Com isto consolidado, você pode partir para itens não associados diretamente ao operacional, como aluguel, custos de financiamento, renda de aplicações financeiras, dentre outros.

O que deve constar nesse planejamento?

De acordo com o Blog Guia do Empreendedor, algumas perguntas devem ser realizadas enquanto você estiver realizando seu orçamento e planejamento financeiro, seja com uma DRE, ou apenas na etapa de estruturação:

  • Qual foi o faturamento do ano passado? Quanto isso representa de crescimento em relação ao ano retrasado?
  • E o faturamento mensal? Como a sazonalidade atua nos meus resultados?
  • Quanto o mercado em que atuo deve crescer no próximo ano? (Busque informações em associações de classe e em pesquisas setoriais)
  • A estrutura atual da minha equipe suporta crescimento? E em termos de número de pessoas e qualificação profissional?
  • Vou querer entrar em um novo mercado?
  • Tenho todas as informações necessárias para embasar minhas decisões?
  • Se precisar fazer investimentos para chegar à meta planejada, de quanto serão eles? Como distribuí-los ao longo do ano? Tem fluxo de caixa para isso?
  • O resultado do investimento a ser feito e do objetivo a ser alcançado vai impactar de forma negativa em minha margem? Se sim, é algo temporário ou permanente?
  • Qual o desempenho mensal que devo ter em vendas para atingir minha meta? Esse desempenho mensal deve levar em consideração a sazonalidade.
  • Quais contas extras tenho a pagar neste ano?
  • Quais os eventos diferenciados que devem impactar no meu negócio?
  • Minha equipe concorda com os números? Quem está na operação diretamente tem uma visão mais prática da coisa toda. Converse com seus colaboradores e veja o que eles acham do plano e se têm sugestões a passar.

Depois de estruturar todas essas respostas, realize um estudo um pouco mais crítico do cenário atual e futuro da sua empresa. Nesse momento, é importante entender que fatores internos e externos impactam no crescimento de uma empresa.

Não adianta querer expandir, se você ainda possui dívidas. Saúde financeira é sobre saber administrar corretamente o seu dinheiro, e não necessariamente sobre o quanto sua empresa possui na conta. Para haver um equilíbrio e prosperidade, é preciso considerar todos os ângulos e estudar o mercado.

Mensure para depois saber onde e como chegar

Para se organizar, após ter todos estes dados na mesa, é preciso estabelecer metas e indicadores que sejam capazes de mensurar o quanto você está próximo de alcançar nos seus objetivos.

Quando falamos em objetivos, entram na lista “expandir a margem de lucro”, “captar recursos pra fortalecer o marketing”, “aplicar dinheiro em uma nova instalação” ou quaisquer destas metas que necessitarão que você quantifique os valores necessários para todos os seus investimentos.

O empreendedor pode, por exemplo, aumentar o faturamento cortando gastos ou destinando dinheiro ao marketing digital. Mas é preciso indicar o quanto será economizado e a porcentagem esperada na nova receita, para que tudo seja detalhado e se tenha maior organização.

Quanto melhor você puder visualizar onde está indo o seu dinheiro, onde ele poderia ser investido e quais ações você quer executar para o próximo ano, melhor para tomar decisões. A organização financeira é ótima para conseguir esse maior controle.

Conte com a ACQIO para te ajudar

A gestão adequada das suas vendas é um fator importantíssimo para o sucesso da sua empresa. Quanto melhor for o seu controle e acompanhamento desses dados, mais fácil será criar estratégias para crescer.

Monitorar as vendas ajuda na gestão de estoque, tomadas de decisão e na construção e ajuste das suas estratégias de marketing. Claro, não podemos deixar de ressaltar: esse controle também é essencial para administração do seu fluxo de caixa.

Todas as transações, inclusive as parceladas, ficam registradas no sistema Acqio. Através do aplicativo ACQIO Lojista, é possível acompanhar todas as vendas, em tempo real. O melhor é que você pode verificar essas informações de onde quiser: tablets, smartphones ou um computador.

Essa é a inovação perfeita para quem busca praticidade e mobilidade. Nesse artigo, você aprenderá mais sobre as funcionalidades do aplicativo Acqio, e como utilizar essa incrível solução.

Entenda como baixar o aplicativo e ter mais controle financeiro agora mesmo!


ASSINE NOSSA NEWSLETTER