Capacitação

Como manter a saúde mental durante a pandemia

De um lado, a necessidade de se proteger e estabilizar o contágio diante de uma pandemia. De outro, o isolamento social que já soma três meses desde o seu anúncio. Com tudo isso, como fica a saúde mental?

Estar 100% estável o tempo todo já era uma tarefa complicada antes dessa situação. Agora, manter a saúde mental para conseguir seguir parece uma tarefa impossível, em alguns dias.

Um retrato disso é a pesquisa realizada em maio, pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Os dados apontam que 67,8% dos médicos relataram que receberam pacientes novos após o início do isolamento social, que nunca haviam apresentado quaisquer sintomas psiquiátricos antes.

Isso é um sinal claro de que a saúde mental de diversas pessoas não está na sua melhor forma, já que são muitos aspectos para lidar, além dos problemas diários com o trabalho, família e etc.

Como lidar com o estresse de estar isolado e manter a saúde mental?

Pensando neste problema, a Organização Mundial da Saúde criou uma cartilha com uma série de indicações profissionais para que as pessoas possam lidar rotineiramente com estresse, ansiedade e outros problemas. Confira algumas das dicas citadas:

Lide com o estresse da melhor forma possível: fortalecendo sua rotina

Não é todo o dia que isso vai ser fácil. Mas entenda que é normal sentir tristeza, medo, confusão e raiva durante uma crise. Como lidar com isso é que é a chave da questão. Você pode conversar com seus amigos, se unir ainda mais a sua família, e manter a rotina mais normal possível.

Para isso, acorde no mesmo horário de antes, se alimente bem, se vista para trabalhar e tente manter uma boa noite de sono, além de incluir alguns exercícios na sua rotina. Tentar é o primeiro passo. Você pode ir se adequando conforme os dias, para entender o que funciona para você.

Não se esqueça: conversar com quem você ama e quem você gosta de estar perto é um hábito que pode gerar bons hormônios no seu cérebro e, assim, diminuir o estresse e a ansiedade acumuladas do dia.

Se informe para entender como se proteger e fique atento ao excesso de informação, todo excesso faz mal,inclusive para a saúde mental

Uma das primeiras dicas da cartilha da OMS é se informar por meio de “fontes confiáveis para tomar medidas práticas ao planejar como se proteger e proteger quem você ama”. Reúna informações e atenha-se aos fatos para que você possa entender como se manter protegido e são durante este período.

De acordo com a psiquiatra e professora do Departamento de Saúde da Faculdade de Medicina da UFMG, Tatiana Mourão, em reportagem para o site de medicina da UFMG, “O problema não é o excesso de informação, o problema são as informações deturpadas, as fake news ou orientações que não são as mesmas passadas pela OMS. Mas é importante marcar um tempo para a informação e não acreditar em todo áudio e vídeo que circula na rede”.

Portanto, cheque suas fontes e tente não ficar o dia inteiro buscando se informar sobre a pandemia. Saber o que está acontecendo no mundo é bom e importante, mas a partir do momento que começar a te gerar angústia, você pode dar uma diminuída na frequência em prol da sua saúde.

Cuide de você e de quem precisa, inclusive aqueles que não podem se isolar

Pode até parecer tarefa impossível, mas tirar alguns minutinhos para fazer algo por você não deve ser algo digno de culpa. Você precisa estar bem para passar por tudo isso da melhor forma, portanto, faça algo para “aliviar a mente”. Que seja assistir a um filme, escolher um livro para ler, fazer uma aula online ou até mesmo conversar com seus amigos e familiares todos os dias: se permita sorrir.

Se conhecer alguém que corre mais riscos de contágio por conta de doenças crônicas ou idade avançada, se ofereça para ir fazer compras no mercado e/ou farmácia e, se puder, contribua com iniciativas de Ongs e projetos individuais que ajudam pessoas que não possuem o mesmo privilégio de estarem isoladas.

Durante a pandemia, a empatia é uma força importante: cuide de você, dos seus e de quem está mais vulnerável. Ajudar o próximo, aliás, ativa diversas substâncias boas no cérebro que nos ajudam a sentir mais bem-estar. Se você puder, faça isso.

E você, como tem lidado com a pandemia? Conte para nós nos comentários!


ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Posts Relacionados